Quase um terço da massa terrestre de Portugal pertence a áreas protegidas e, embora este país ibérico tenha apenas um parque nacional – Peneda-Gerês, junto à fronteira com Espanha, a Norte – existem 13 parques naturais e nove reservas naturais para os amantes da natureza explorarem. Frequentemente traçadas por trilhos de caminhada que conduzem o visitante por entre montanhas revestidas por pinheiros, vales repletos de flores silvestres e pastagens a grande altitude, estas áreas são sítios ideais para vislumbrar exemplares da fauna nativa, como cavalos, águias, lagartixas e até golfinhos em estado selvagem.

1. Cavalos selvagens no Parque Nacional da Peneda-Gerês

Estamos no século XXI em todo o lado, mas o Parque Nacional da Peneda-Gerês não recebeu o memorando. Aqui a vida corre ao ritmo da tradição, com trilhos que vão dar a minúsculas aldeias de granito e pastagens de grande altitude onde os pastores conduzem os seus rebanhos. O burburinho das asas poderá atrair o seu olhar para o céu, na direcção de águias-reais e bútios-vespeiros, ou o batuque de cascos poderá assinalar a presença de garranos, uma raça equestre de pequeno porte que se crê viver aqui há 20.000 anos. Uma caminhada nesta zona levá-lo-á frequentemente ao encontro da Via Romana de Geira, trilhos de pastores e rotas de peregrinação. A Grande Rota Peneda-Gerês (GR50), um trilho com cerca de 190 quilómetros que penetra no coração do parque, une todos estes trajectos. A época alta da estação de caminhada é de Maio a Setembro.

2. Golfinhos no Parque Natural da Arrábida

Situado a menos de uma hora de carro a Sul de Lisboa, o Parque Natural da Arrábida é uma beleza costeira imperdível. No sopé de penhascos de calcário encontram-se areias finas e macias, enseadas rochosas e as águas azuis brilhantes do Atlântico, onde golfinhos e baleias-anãs brincam. O Verão é a melhor altura para os avistar. As montanhas revestidas por pinheiros desdobram-se em direcção ao interior, pulsando com centenas de espécies de borboletas, incluindo a cauda-de-andorinha, a aurínia e a azulinha-dos-calcários. Falcões peregrinos e francelhos planam sobre as encostas cobertas de tomilho, oliveiras e aroeiras, enquanto as águias-de-Bonelli nidificam nas falésias calcárias. Poderá observar uma imensidão de espécies de aves na falésia mais alta de Portugal, a Serra do Risco, com 381 metros de altitude.

3. Lagartixas-da-montanha no Parque Natural da Serra da Estrela

As estradas contorcem-se por entre montanhas graníticas no nordeste de Portugal. Aqui os picos mais altos do país erguem-se acima de vales, rios e lagos esculpidos por glaciares. A Primavera traz consigo uma erupção de flores silvestres e, à noite, milhões de estrelas bordam os céus mais escuros de Portugal. A fauna inclui raposas, lontras, gatos selvagens, javalis e a endémica lagartixa-da-montanha – a melhor época para observá-la é entre Fevereiro e Outubro.

As aves também adoram a serra e poderá avistar exemplares de cegonha-preta, bufo-real, tartaranhão-caçador, falcão peregrino, chasco-cinzento e águia-calçada. Instale-se em Manteigas, a partir de onde poderá ter um acesso rápido aos Trilhos Verdes, uma rede com cerca de 190 quilómetros de trilhos e antigas rotas de pastores, que abrange desde passeios fáceis a caminhadas até ao cume.

Parque Natural da Serra da Estrela
GIULIO ERCOLANI

O Parque Natural da Serra da Estrela também é um excelente local para esquiar.

4. Flamingos no Parque Natural da Ria Formosa

Este parque situado no Algarve é um arabesco delicado, composto por pântanos, ribeiros, ilhas dunares e remoinhos marmoreados de areia dourada e mar azul-turquesa. Os turistas que vão até lá costumam ir munidos de binóculos para observação de aves.

No Trilho Ludo, uma rota de 8 quilómetros que demora três a quatro horas a percorrer, preste atenção a colhereiros, garças-reais e pernilongos e ao tímido cágado-mediterrânico, que apanha banhos de sol nos pântanos e nas lagoas. Visite a Ria Formosa entre Outubro e Março para ver as salinas ricas em algas efervescendo com gloriosos flamingos cor-de-rosa.

Parque Natural da Ria Formosa
ZU SANCHEZ

Oferecendo o melhor de ambos os mundos, o Parque Natural da Ria Formosa tem praias de areias brancas, bem como um ecossistema e vida selvagem diversificados. 

 5. Águias no Parque Natural do Douro Internacional

Situado na fronteira nordeste com Espanha, este parque natural é um paraíso para a vida selvagem. O seu terreno apresenta-se gravado por vales profundos, ravinas e penhascos acidentados, onde gatos salvagens, lobos, corças e javalis correm à solta. Lontras esquivas divertem-se nos rios. Morcegos em perigo esvoaçam em grutas.

Existem muitos miradouros por estas paragens, mas se quiser apreciar vistas maravilhosas sobre uma manta verde amarrotada tecida com o fio prateado do rio Douro, vindo de Espanha, caminhe até ao Miradouro de Penedo Durão, com 550 metros de altura, junto à aldeia de Freixo de Espada à Cinta. Com sorte (e bons olhos), verá águias-reais, falcões peregrinos e grifos voando em céus irrepreensivelmente azuis.

Artigo publicado na edição de Setembro de 2023 da National Geographic Traveller (UK) e em nationalgeographic.com