Semelhante a dragões pré-históricos em miniatura, constituem a única espécie de iguana marinha e encontram-se apenas nas Galápagos.

O novo santuário protege as ilhas dos efeitos humanos directos, mas apenas ajuda a mitigar os impactes climáticos. Em anos de El Niño, quando a água aquece e a produtividade diminui, as algas escasseiam e as iguanas marinhas morrem ou reduzem o seu tamanho.