A Philodryas baroni é uma espécie venenosa que vive na América do Sul. Para injectar veneno na sua vítima, morde-a com as presas – que são fixas e se situam na parte de trás da boca, por baixo dos olhos – e derrama o veneno sobre a ferida produzida, graças a um canal que também se encontra na sua boca.

Felizmente para as vítimas acima mencionadas, o veneno da serpente não é muito potente – embora não se devam esquecer que esta serpente também pode usar a constrição para matar as suas presas.

Os indivíduos desta espécie têm uma visão aguçada e são capazes de detectar substâncias químicas no ar com a sua língua. Neste aspecto, a língua bifurcada ajuda-os muito. 

A presa liberta estímulos químicos que a serpente detecta. Se os receber apenas numa extremidade, compreende que deve virar nessa direcção – saberá a direcção certa quando ambas as extremidades detectarem a substância.