No limite exterior da Via Láctea, a 20.000 anos-luz da Terra, encontra-se a estrela supergigante vermelha V838 Monocerotis. O mais curioso nesta imagem é a expansão da luz nas espirais de poeira que rodeiam a estrela; chamam-se "ecos de luz" e, até o Telescópio Espacial Hubble ter efectuado esta captura, nunca tinham sido vistos antes

Estes redemoinhos foram provavelmente criados por poeira e gás expelidos por esta estrela numa explosão anterior, explicou a NASA. Durante esse evento, a estrela tornou-se 600.000 vezes mais luminosa do que o nosso Sol.

A imagem destes remoinhos fez a ESA lembrar-se do quadro de Vincent Van Gogh "A Noite Estrelada". A frase "a vida imita a arte" parece aplicar-se também aos acontecimentos espaciais.