Cheguei à fotografia e tornei-me contadora de histórias através da ciência. Enquanto investigava tubarões e esturjões no âmbito da minha pós-graduação, vi o poder que as imagens podem ter no meio académico, entre os legisladores e o público em geral. As fotografias e os vídeos são mundos mais persuasivos do que os gráficos e as estatísticas – fazem as pessoas ligar-se a espécies e ecossistemas normalmente ocultos da sua vista.

O meu objectivo é simples: usar as imagens para as pessoas conhecerem aqueles com quem partilhamos o nosso planeta e mostrar-lhes que a Terra é nossa – quer a defendermos ou a percamos. 

 foca-da-Gronelândia
Jennifer Hayes

Uma fêmea foca-da-Gronelândia empurra a sua cria para fora do gelo para ela nadar no Golfo de Saint Lawrence.

Aqui estão as minhas dicas para captar fotografias e vídeo debaixo de água:

1. Use OS MEIOS que puder

Nunca subestime o poder das suas ferramentas: seja um smartphone, uma GoPro, uma câmara DSLR ou um drone — ou até papel e caneta. Sim, já publiquei ilustrações! Além disso, não deve esquecer-se do som: as gravações em áudio podem ser incríveis e inesperadas.

corais
Jennifer Hayes

Uma fotografia de grande angular capta corais no Recife de Tubbataha, em Sunset.

Arranje sempre uma maneira de captar o momento, em vez de o perder só porque a sua máquina fotográfica mais recente ficou sem bateria. Sejam quais foram os dados e as imagens que conseguir captar (seja qual for a sua qualidade), podem sempre contribuir para a sua narrativa.

raias
Jennifer Hayes

Raias Southern Stingrays emolduradas pela água azul prístina da ilha de Grand Cayman.

2. Mexa-se e torne-se íntimo do local

Costumo alertar os novos fotógrafos para um erro que cometo com frequência: ficar num só sítio e fotografar um animal de uma única perspectiva. Se mudar de sítio, poderá descobrir um ângulo melhor ou uma interacção que a sua lente não captara antes – como um predador perseguindo a sua presa. Usar uma lente de grande angular também pode ajudar a captar o sujeito no contexto do seu ambiente.

Também é importante ficar cara a cara com os animais. As lentes macro são úteis para estes retratos íntimos, que permitem evidenciar a personalidade dos animais.

Góbios-amarelos
Jennifer Hayes

Góbios-amarelos do coral espreitam por uma garrafa de vidro no fundo do mar.

3. UsE câmaras de acção

A beleza de uma GoPro é que não tenho de estar lá para a usar. Quando vou mergulhar, costumo levar algumas e colocá-las estrategicamente em locais onde suspeito que possa acontecer alguma coisa. Depois, programo-as para gravar vídeo ou tirar fotografias com determinados intervalos temporais.

crocodilo-americano
Jennifer Hayes

Um crocodilo-americano nada nos Cuba’s Gardens do Parque Marinho Nacional de Queen.

Para utilizar uma câmara dentro de uma caixa estanque, tenho de nadar com equipamentos grandes com luzes que piscam, rodeada por uma nuvem ruidosa de bolhas de ar – e isto não são as melhores condições para captar comportamentos naturais. Por outro lado, as câmaras pequenas controladas à distância fundem-se com a paisagem e não parecem tão ameaçadoras, permitindo ao sujeito ser quem é e fazer aquilo que costuma fazer.

4. um smartphone, às vezes, ajuda

Costumo levar dois iPhones comigo em cada trabalho: uso um como telefone e o outro como câmara. Uso os dois separadamente, por isso posso tratar um smartphone como câmara sem correr o risco de perder o equipamento de que preciso para telefonar, enviar mensagens, usar a Internet, entre outras coisas. Num mundo esfomeado por vídeos captados na vertical, o iPhone é um equipamento inestimável. Tiro fotografias com estes equipamentos no formato RAW e filmo com uma resolução de 4K.

Tenho um tripé para smartphone para conseguir captar imagens em time-lapse e acho-o muito útil para filmar em câmara lenta.

tubarao-zebra
Jennifer Hayes

Esta fotografia de um embrião de tubarão-zebra foi captada com um iPhone.

Pode comprar uma caixa estanque para o seu smartphone para conseguir trabalhar debaixo de água até determinada profundidade – mas prepare-se para a caixa falhar. Mais cedo ou mais tarde, a água encontra maneira de entrar.

Por fim, mas não menos importante, faça cópias de segurança dos seus dados assim que possível. Boas fotos!

cardumes
Jennifer Hayes

Cardumes de peixe nadam junto aos corais perto da Ilha do Pescador, nas Filipinas.