Nascido no norte de África, Santo Agostinho foi o primeiro grande filósofo cristão. A sua obra, uma síntese perfeita e até então nunca bem-sucedida da filosofia de origem platónica e da religião, inspirou um vasto leque de autores que se convenceram de que não haveria barreiras entre a fé e a razão.

No pensamento de Santo Agostinho, estes dois elementos entrelaçam-se continuamente para guiar o homem em direcção à verdadeDeus, na sua óptica – e assim alcançar a felicidade, o objectivo declarado da maior parte dos projectos filosóficos.

Com a sua doutrina muito original, o bispo de Hipona, considerado o último dos filósofos antigos e o primeiro filósofo genuinamente medieval, estabeleceu os alicerces do pensamento da Idade Média e marcou profundamente os sistemas de crença de todo o Ocidente. A Igreja estruturou-se em torno das suas premissas e até ao Renascimento a obra de Santo Agostinho foi incontornável.

Índice:

  • Introdução
  • Cap. 1: O pensador errante
  • Cap. 2: Acreditar para compreender, compreender para acreditar
  • Cap. 3: Tempo e eternidade
  • Cap. 4: A doutrina da graça
  • Cap. 5: Uma filosofia cristã da história 
  • Cap. 6: O conhecimento é iluminação 
  • Glossário
  • Leituras recomendadas